É tanta indecisão que as cadeias do Brasil poderiam ter portas giratórias

Paulo Martins
Política | Publicado em 26/09/2018 às 13:26

A Divisão de Combate à Corrupção iniciou nesta quarta-feira (26), a Operação Rota Oculta para desarticular uma organização criminosa suspeita de fraudar uma licitação de transporte público escolar na cidade de São Miguel do Iguaçu, no Oeste do Paraná.

Mais de 30 policiais estão nas ruas para cumprir 15 mandados judiciais, sendo cinco de prisão preventiva e outros 10 de busca e apreensão. A operação, que conta com o apoio da Polícia Militar e da Polícia Científica, tem como alvos empresários do setor de transporte público escolar, um vereador e  pessoas apontadas como "laranjas" no esquema criminoso.

A Divisão de Combate à Corrupção está cumprindo ainda mandados judiciais na Procuradoria geral do município de Foz do Iguaçu  e  na Prefeitura de São Miguel do Iguaçu, assim como na Câmara de Vereadores de São Miguel do Iguaçu, além de residência e empresas dos investigados.

A investigação é do núcleo de Foz do Iguaçu da Divisão de Combate à Corrupção e iniciou-se a partir de denúncias de moradores da cidade de São Miguel do Iguaçu, que afirmavam haver indícios de irregularidades na quilometragem contratada no serviço de transporte escolar do Município.

Em tese, a quilometragem contratada por trecho seria maior do que a quilometragem real de cada trecho, o que sugere um superfaturamento em função de quilometragem inexistente. De acordo com a investigação, estima-se que  40% da quilometragem contratada pela prefeitura não é percorrida diariamente pelos veículos, o que representaria cerca de R$ 1,4 milhão de prejuízo aos cofres públicos.

O comentário de Paulo Martins 


Quem de nós nunca ouviu uma notícia sobre alguém que tenha se completado dizendo que “a pessoa está em lugar incerto e não sabido”? Pois é...eis que chegamos a um ponto que indica eu quem está em lugar incerto e não sabido somos nós, brasileiros, em relação aos conceitos jurídicos que de uns tempos para cá passaram a ser aplicados aos circunstantes:  uns prendem, outros soltam. 


Outros aceitam a norma contemplativa apenas, não prendendo a não ser em flagrante devido ao período eleitoral, outros determinam a detenção mesmo assim.  A justiça brasileira, enfim, queiram ou não os da área, passa por um “cada vez mais acentuado estado de letargia”, tanto que a própria suprema corte até hoje não sabe se um condenado na segunda instância deve ou não começar a cumprir a pena, situação em que o próprio STF se enrolou e não sabe sair...não sabe...e não sabendo, acaba não sabendo também se o julgado está mesmo julgado ou ainda terá que continuar sendo julgado...é um rolo e, sendo um rolo, vai por aí no “prende – solta – prende solta...algo como um programa comigo antigo que havia na TV cujo personagem era Frei Carmelo que não casava para evitar “o casa – separa – casa – separa...ou seja, está virando circo...se já não virou. 


Portanto e infelizmente, é isso mesmo... a instância superior da nação se enrolou… e se enrolando, diante de réplicas, tréplicas e demais protocolos, acabam os leigos, principalmente – nós, sociedade comum - não sabendo com quem está a razão...quem é culpado e quem é inocente. o stf está que nem uma cortiça sobre as ondas...oscilando… e outra incógnita é: “que grau de influência isso ocorre em suas áreas subalternas...???” enfim, amigos, pode parecer até pitoresco, mas que nesse brasil conturbado, também, e infelizmente, até a nossa própria justiça está a necessitar de justiça.





Relacionados

Política | 14-11-2018 13:59

'Até hoje não passou de promessa e, que vem a ser "a busca da perimetral"

'Até hoje não passou de promessa e, que vem a ser "a busca da perimetral"

Política | 13-11-2018 13:20

Cristo não vem mais

Cristo não vem mais

Política | 12-11-2018 13:35

Contenha-se em seus limites

Contenha-se em seus limites

Política | 09-11-2018 13:34

'Pilantragens tão sólidas que tendem a permanecer nos esfolando'

'Pilantragens tão sólidas que tendem a permanecer nos esfolando'

PUBLICIDADE